Por Fernando Garcia - Porta aberta 17 de julho de 2020

Publicado 19/07/2020
Atualizado 20/07/2020
A A

Candidaturas
Como dizia meu velho pai, política é coisa do “saltamais” e, precisa a todo instante redobrar os sentidos para não cometer a mínima falha, para não tropeçar na hora de sacramentar. Em Rolim de Moura, constantemente acontece casos de natureza política bastante complexa, onde dentro da própria família existe discórdia e leva a ter mais do que um candidato para a mesma pretensão. Circula conversas em vários lugares da cidade, que dois irmãos do ex-candidato a deputado estadual, dr. Ferrari, se preparam para lançar candidaturas para vereador em Rolim de Moura, que sem dúvida, caso isso venha acontecer, o dr. Ferrari, poderá vir a perder vários apoiadores na próxima campanha de nível estadual.

Memória
Na campanha política de 98, coisa semelhante aconteceu dentro da família de Expedito Júnior, quando os irmãos Vagner e Varlei, não conseguiram se entender e, levaram as candidaturas para deputado estadual, inclusive ambas pelos mesmo partido que era o (PL), resultado, nem mel nem tampouco a cumbuca e, acabaram contribuindo com a vitória de Ronilton Capixaba, de Ouro Preto e Celso Popó, de Santa Luzia. O resultado final, somente foi salvo porque naquela oportunidade Expedito Júnior, se elegeu deputado federal. Também na primeira eleição de Rolim de Moura, teve um caso que chamou bastante atenção, onde pai e filho, saíram candidatos a vereador e ambos não obtiveram êxito. 

Corporativistas
Apesar de alguns médicos possuírem cursos de especializações na área médica, vez em quando acompanho as ojerizas de alguns, contra os médicos formados no exterior, onde ele se explana de forma estúpida e abrupta, expondo levantamento de pesquisa manipuladas e realizada por Institutos “Data Podres”, que há muito tempo não goza de prestígio junto ao povo brasileiro, dado suas sequências de erros, principalmente em épocas eleitorais. É bem verdade que os milhares de estudantes esparramados na América do Sul, não são contra à aplicação das provas para o Revalida, mas, é sabido por todos que vem faltando interesse dos governos, juntamente com o Ministério da Educação e Saúde, e inclusive uma participação bem maior por parte do Conselhos Regionais de Medicina, para buscar alternativas para milhões de brasileiros e, encontrar uma saída para realizações das provas todos os anos. É fácil martelar que existe médicos sobrando no Brasil, mas, não é verdade, visto que nesse momento desesperador editais estão sendo colocados e fazendo apelo em todo o país, e a procura é raríssima.  

Controladores
Há quase quatro anos sem aplicarem as provas, os estudantes de Medicina no Exterior, querem saber dos sabichões e detentores de poder, no caso dos presidentes dos Conselhos Regionais de Medicina e do poderoso Conselho Federal de Medicina, quais são as suas tomadas de decisões para equacionar os problemas atinente a saúde? Esses quesitos deveriam ser de interesse dos Conselhos também, visto, que é o Brasil que está precisando de socorro e, não é justo que pessoas fiquem disseminando suas iras, controlando a entrada de profissionais no mercado de trabalho, quando deveria está buscando alternativas mecanismos para que o outro alcance seus objetivos e, que possa se tornar seus colegas de lutas incessantes.  

Prevaricações
A insatisfação e descriminalização por parte dos Conselhos de Medicina, com os estudantes estrangeiros, chega a causar náusea, para quem assistiu Jornal Nacional, acerca de uns 6 anos atrás durante uma semana, mostrando as mazelas das faculdades públicas brasileiras, atoladas em descréditos generalizados, parece, que a categoria intocável passou desapercebida. E olha que a maioria das faculdades públicas continuam sucateadas, sem laboratórios, anatomia humana um fiasco, a parte hospitalar quase inexistentes partes estruturais caindo aos pedaços e por aí vai, porém, contudo, todavia, ao que tudo indica a omissão por parte dos conselheiros é permanente.

  
Dá tempo
É bem verdade que o prefeito Luizão do Trento, conseguiu agilizar várias emendas à nível federal, que estavam praticamente perdidas, mas, com muita labuta conseguiu alcançar seu objetivo, fazendo com que retornassem à disposição do município de Rolim de Moura. Alguns trechos de asfalto na cidade, resultado de seus esforços, já começaram nos poucos dias da administração de Dr. Lauro Lopes, que com o retorno de Luizão do Trento, provavelmente vai manter o rítimo, pois, o prefeito pretende encerrar o mandato com todas as obras inauguradas até o dia 31 de dezembro próximo. 

Boa ideia 
A coluna passada abordou as luminárias da RO 010, sentido antiga Cibrazém até as confluências da associação Banco do Brasil, onde as mesmas continuavam apagadas. Não se sabe se é para deixar aproximar as eleições, ou problema de ordem financeira na quitação da obra com o empreiteiro. O colunista recebeu também, algumas reclamações e sugestões, sobre as luminárias que deveriam se estender na avenida Norte Sul, sentido Santa Luzia, começando da 7 de setembro até ultrapassar em frente a faculdade Farol. Segundo alega o acadêmico que estuda na Farol, esse pequeno trecho é totalmente escuro, sem falar na falta de cuidados com o asfalto, o que aumenta as possibilidades de acidentes neste percurso. 

Clima tenso
Vários funcionários de um frigorífico da cidade, estão vivendo dias de inquietudes, posto, que o estabelecimento que emprega dezenas de trabalhadores em caráter de turno, está dispensando trabalhadores que foram acometidos do Covid 19. Segundo relato de um deles, o clima entre eles é bastante desanimador, principalmente quando sabem que um colega está positivo, já sabem que no seu retorno já são convidados a comparecerem ao setor de Recursos Humanos, gerando intranquilidade dentre os demais colegas, que poderá ser a próxima bola da vez.

Endrôminas políticas
Mais uma vez, a eleição em Rolim de Moura é suspensa e Luizão do Trento, é reconduzido ao cargo. A eleição indireta que já estava programada para o próximo dia 23, deu zebra novamente e, Luizão do Trento deve terminar seu mandato dia 31 de dezembro. Muitas articulações aconteceram nesses últimos dias, propostas e composições se tornaram palavras corriqueiras para governarem Rolim de Moura, num período menos de 6 meses de administração. Se não fosse a decisão monocrática do Ministro, Barroso, reconduzindo Luizão do Trento, sem dúvida, a vitória do Dr. Lauro Lopes, estaria consagrada. 

Falta de companheirismo
O que chamou mais atenção nesse período de inquietação política, foram alguns amigos do então prefeito afastado, Luizão do Trento, de não o ter procurado ou ao menos telefonado para lhe dar uma palavra de conforto e saber quem seria a sua opção, uma vez que ele estava fora do páreo. Fora do jogo político naqueles instantes, seus considerados maiores aliados, faziam altas “costuras políticas”, fazendo trampolim político através de indicações para o alto escalão municipal. Mesmo sabendo que a votação ainda seria no dia 23, os articuladores “amigos” do Luizão do Trento, demonstraram muita volúpia para o poder, fazendo acordos para nomeação de primeiro escalão no calor das articulações.
  
Levanta Luizão
Como no futebol o jogo só termina no soar o apito final, na política também tem dessas coisas, e Luizão do Trento, sai vitorioso, pois já conseguiu se desvencilhar de duas situações vexatórias. Também deve ficar com a cicatriz, de que nem sempre podemos confiar demais, pois, o fogo amigo é o que mais queima e o que mais arde, portanto, como dizia meu velho pai, um cabo bem botado parece nascido e, todo cuidado em política se torna pouco. O ex-prefeito Lauro Lopes, não causou nenhuma intempérie nos poucos dias frente à prefeitura, fez o seu papel de administrador e foi muito sucinto. 
Arregala os olhos
Depois de toda essa turbulência política, situação que Rolim de Moura, vivencia desde os seus primórdios. Provavelmente a partir de segunda feira, novos rumos irão ser definidos no palácio Senador Olavo Pires, inclusive algumas exonerações devem acontecer a nível de primeiro escalão, coisas normais dentro das regras da administração pública. Ademais, acredito que o prefeito Luizão do Trento, deva manter estreitos laços cordeais com a Câmara de Vereadores, até porque, tudo que vem acontecendo nesse sentido, a Casa de leis, permanece imune nestas questões de afastamentos do prefeito Luizão do Trento. Mas uma coisa importantíssima ele tem que fazer, não acreditar muito em quem promete demais, pois, tem que refletir os últimos acontecimentos, onde muitos se ausentaram. 
 Prioridades
 É preciso ter um mapeamento da cidade, quando os agentes públicos solicitarem emendas, para serviços de pavimentação asfáltica de Rolim de Moura. As prioridades concretas na verdade, deveriam ser onde estão localizados os logradouros públicos, principalmente os estabelecimentos de ensino, que geralmente são esquecidos pelos nossos gestores. Colégios tradicionais da cidade, como Carlos Drumont de Andrade e, Tancredo Neves, aguardam há anos essa atitude por parte dos nossos representantes. Além da falta de sensibilidade quanto a questão, o calçamento nas laterais dos colégios é outra situação dramática, visto que em épocas chuvosas, os estudantes, tem que retirar os calçados para fazerem limpeza geral, por causa do barro que fica grudado nos sapatos. 

Danos Morais
Tramita no Processo Judicial Eletrônico, estado de Rondônia, uma ação movida pelo deputado federal Expedito Neto, contra várias pessoas, que postaram matérias cujo texto era: Viva Las Vegas, Zero Prioridades em Meio a Pandemia, em 4 de maio do corrente ano, em suas páginas pessoais. Na verdade, se estende emenda inicial, onde ao que tudo indica existem várias pessoas de Rolim de Moura, que são eleitores do deputado federal Expedito Neto e também do seu pai Expedito Júnior. O deputado ressalta, que sua viagem foi o ano passado ainda em meados de dezembro, bem antes da pandemia e, alega em sua defesa que sua viagem foi em Missão Oficial, para tratar de assuntos atinentes a Inclusão de Moedas Virtuais, e Programas de Milhagem. Poxa, em alguns casos pedir a retratação, seria de bom alvitre uma boa atitude, afinal, muitas dessas pessoas, são eleitores do seu pai, bem antes de ele nascer, mas...
 
 
 


 

Porta Aberta

Por Fernando Garcia

Artigos de opinião de Fernando Garcia